segunda-feira, 1 de abril de 2013

A Segurança Social e eu...

video
 
 
Caros,
Dirijo-me a V.Ex.ª. sem vontade nenhuma de vos chamar de tal, apenas fui bem educada e ainda me lembro de como redigir uma carta. Deixem-me que vos informe que ontem ao chegar a casa e recepcionar uma carta vossa me deu um mini AVC. Acreditem que não brinco, pois fiquei branca, sem sentir o braço esquerdo, pestanejei muito rápido e tive uma ligeira mas muito incómoda picada no meu lobo occipital. Compreendo que esse não seja o vosso objectivo, mas aceitem que alguém que chega a casa depois de um dia de trabalho, com os seus 3 filhos: 6 anos o mais velho e os gémeos com 25 meses e lê uma carta vossa em que se limitam a informar-me, sem “V. Exa”, sem “Cara senhora, sem “Cara contribuinte”; apenas informam que tenho eu devolver todo o valor do abono referente a 2012.
Eu nunca solicitei abono à Segurança Social, pois sabia de antemão que era um desperdício de papel e tempo para receber um não. Mas a partir do momento que o meu agregado passou de 3 para 5 elementos, achei que uma mãe de 3 filhos, contribuinte desde os 17 anos para a vossa “casa”, merecia algum retorno e ajuda. Apresentei modelos e pedidos e mais meios de prova que me solicitaram. E os meus filhos nasceram em 2011 e NADA, porque as contas são feitas com base no ano anterior! E chegou 2012 e NADA…porque as contas são feitas com base em 2010 e depois actualizadas com a entrega do IRS referente a 2011. E chegamos a Setembro de 2012, sem aviso nem licença colocaram na minha conta cerca de 1700€.
Sou uma cidadã preocupada, e já havia sucedido algumas situações semelhantes referentes por exemplo a um anterior subsídio de desemprego; pagaram-me a mais e eu avisei a tempo e depois lá me pediram o valor que eu devolvi. Com esta experiência em mente, como parte de um bom dever cívico e de boa educação liguei para a vossa linha de apoio, onde me informaram que estava tudo certo. Segundo a vossa operadora com base em 2011, estaria colocada no 3.º escalão tendo assim direito a abono e a majoração uma vez que 2 deles têm menos de 3 anos.
Fiquei descansada. Juntei o valor e fui de férias para as Caraíbas…NÃO. Peguei no valor e apliquei numa conta em nome dos meus filhos. Ora, mais uma vez cidadã modelo, contribuição em massa para a natalidade e para a poupança. O meu espanto, não muito mas algum, em Janeiro de 2013 não recebi abono, contactei-vos novamente para a linha de apoio, mas o que me foi explicado foi escasso, pelo que resolvi escrever-vos a solicitar o porquê da descida de escalão.
E eis que chegamos ao dia de 21 de Março de 2013, “Restituição de prestações indevidamente pagas”. Dirigi-me ao balcão da Segurança Social de Vila Franca de Xira e explicaram-me a fórmula de cálculo, fizeram-na à minha frente e verificaram que de facto não devia ter recebido NADA em 2012 também. Quem fez a conta enganou-se…enganou-se!
Sou Arqueóloga de profissão, no código deontológico do meu trabalho, se cometer um erro a Secretaria de Estado da Cultura pode retirar-me de funções por 2 anos…2 anos e uma multa, claro. Tenho muita pena que seja este tipo de funcionarismo público que dá má reputação aos restantes. Esta não é a primeira vez que acontece, conheço casos idênticos ao meu e outros mesmo iguais. E como é possível, pergunto eu, que erros como estes se repitam…departamento atrás de departamento, secretaria atrás de secretaria, funcionário atrás de funcionário.
Tenham brio no vosso trabalho e responsabilidade nas vossas acções que situações destas não se repetem. Tirar o que deram é do pior que podem fazer a alguém…a vossa classe que fala tanto na perda dos direitos adquiridos, devia ter espelhos em casa e vergonha na cara. Isto não se faz a famílias inteiras, a mães, pais e principalmente às crianças. É este o apoio social que uma família de 5, portuguesa e trabalhadora tem?! É esta a ideia que querem dar do nosso estado aos que nos auditam, revistam e dão nota?! Milhões e milhões perdidos…milhões e milhões mal atribuídos…milhões e milhões cada vez mais insatisfeitos…pudera!
Tentei ser simples e direta, mas como o cérebro ficou um pouco afetado deixei o coração escrever. Espero que desse lado esteja alguém com coração e cabeça no lugar e com uns certos “apêndices” no lugar certo também para corrigir, não só esta como, milhares de situações idênticas.
Atentamente,
Dalila Garrido
Mulher, mãe, esposa, contribuinte…

quinta-feira, 21 de março de 2013

No dia Mundial da Poesia...um poema meu.

Apanhas-te todas as flores que encontras-te, mas deixaste-as cair pelo caminho, agora estás aqui à minha frente de mãos a abanar!
Tenho inveja das pedras da calçada que estão agora enfeitadas pela bonita cor de pétalas aveludadas. E a chuva virá e o vento soprará e com eles irão as pétalas. Mas por muita chuva, vento ou tempestade que venham, tu não irás porque eu te darei abrigo, debaixo do meu chapéu de chuva.
Apanhaste todas as flores que encontras-te, mas deixaste-as cair pelo caminho, agora estás aqui à minha frente de mãos a abanar.
Seguro essa tuas mãos com as minhas, beijo-as suavemente, roço o meu rosto na sua palma, como gata pedindo carinho e atenção. Olho-as e venero-as, beijo-as novamente e desenho nelas um coração, o meu coração que é teu.
Apanhaste todas as flores que encontraste mas deixaste-as cair pelo caminho, agora estás aqui à minha frente de mãos a abanar.
Olho nos teus olhos meigos, leio nos teus lábios uma desculpa. Toco-te suavemente com os meus dedos na boca, puxo-te pelo pescoço fazendo-te deitar no meu colo, afago-te o cabelo, abraço-te profundamente. Quero que sintas o conforto do meu calor que te protegerá do vento feroz que te levou as rosas, e que te acolherá sempre, mesmo que chegues de mãos a abanar.
Apanhaste todas as flores que encontraste mas deixaste-as cair pelo caminho, agora estás aqui à minha frente de mãos a abanar!
Reparo numa pétala que ficou no teu casaco, recolho-a com cuidado, abro os três botões cimeiros da minha blusa e guardo-a no meu peito, para que fique resguardada no calor do meu coração ateado por ti.

PARABÉNS MÃE

Aí há uns 15 anos atrás levei a minha mãe ao médico numa urgência e perguntam-me a data de nascimento e eu digo. Passados uns minutos não encontram ficha da minha mãe porque não há Luísa nenhuma lá nascida naquele dia.
- “Veja lá se a sua mãe não é a Luísa de 21/07”.
E eu não…e continuava a dizer que não e tiro o B.I. dela e vejo – 21/07?!?! Fiquei admirada, corada, confusa e com olhares de reprimenda em cima de mim “esta não sabe o dia de anos da própria mãe).
 É que os nascimentos “nos antigamente” não eram como agora, que já saímos do hospital com as crianças registadas…nasciam em casa e passava por lá alguém do registo para registar crianças cujos pais não conseguiam deslocar-se à cidade. Muitos foram registados no dia certo e com os nomes certos…outros nem por isso. Os meus avós maternos viviam numa quinta e lá alguém disse que os Frederico tinham tido mais uma rapariga (são 5); que tinha o nome da madrinha Luísa e assim ficou. O dia estava certo, o mês é que foi o pior, entre opiniões e sugestões, o senhor do registo achou que a minha mãe era de Julho e não de Março. Giro, giro é ela poder oficialmente dizer que tem menos uns meses…mas a realidade é que hoje a minha mãe comemora 55 Primaveras.
 
Parabéns pela mãe que és, amiga que te tornaste, avó fantástica que te transformaste. Parabéns pelo exemplo de mulher que és, alegre e divertida, amiga do seu amigo e sempre disposta a ajudar. Honesta, linda, trabalhadora e lutadora…teimosa e determinada.
PARABENS mãe…que contes muitos Marços e muitos Julhos, e que assistas aos meus Novembros.

terça-feira, 19 de março de 2013

Feliz dia do Pai...parte 2

 
 
Tudo começou, acredito, pela troca de um olhar que, por força de uma energia muito especial, congelou-se no espaço para ganhar a condição de um momento eterno, definitivo. Aquele olhar trocado mudou a minha vida, fez com que eu me sentisse cada vez mais feliz, mais humana e mais contente. Ainda hoje, cada vez que olhas para mim, sinto a energia da vida, a possibilidade sincera de felicidade eterna, de alegria permanente. Tudo por força de um primeiro olhar; uma força tão grande que alimenta o meu coração até hoje, que me dá esperança de um futuro cada vez melhor, que me dá a certeza de que eu serei sempre feliz, pois sinto, a cada novo olhar que trocamos, que estarás sempre ao meu lado...
 
Os olhares que se trocam...os sentimentos que se fortalecem...a relação que avança, se transforma, se constrói, se multiplica. É nessa multiplicação que nos revemos...que te revejo muito, é principalmente nos olhares dos nosso 3 filhos, que herdaram o teu brilho além das tuas pestanas. Que são ao alento e a força que nos une cada vez mais e para sempre.
 
Obrigada por seres o pai que és, pela presença, pelos momentos, pela ternura, carícia e amor. Obrigada por estares ao meu lado no beijinho e no castigo...no parabéns e na reprimenda...por seres meu companheiro...obrigada. Feliz dia....Dalila, Miguel, André e David.

Feliz dia do Pai

Hoje é dia do pai. Ao meu pai, que foi sempre um amigo e companheiro acima de tudo. Que só uma vez me deu uma palmada. Que me ensinou a ser independente. Que me ensinou a não ser queixinhas. Que me ensinou que só com uma cama e uma mala se consegue começar de novo. Que me ensinou que às vezes não são precisas muitas demostrações de afetos, para mostrar que realmente se ama alguém. O meu pai, que muito temos em comum e muito chocamos. Que sempre falou comigo como igual, nunca como criança ou como menina. Que me ensinou que a liberdade trás grande responsabilidade...e por isso muitas vezes me "prendeu"...só para me "soltar" nos momentos certos, percebo agora. A todos os pais um feliz dia. Ao meu pai ♥.

quinta-feira, 14 de março de 2013

OBRIGADA

Quero deixar o meu OBRIGADA sentido a todos quantos em menos de 3 meses me fizeram atingir as mais de 1000 visualizações do meu blog pessoal. Mesmo não publicando todos os dias, agradeço as visitas e os comentários e a partilha de alguns textos meus pro essa blogosfera fora.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Fazer alguém feliz...

É uma ansiedade que corre, um nó que dá na barriga e uma emoção borbulhenta. Mas fazer alguém feliz é verdadeiramente compensador...os sorrisos, as lágrimas de contentamento, os pulos de alegria...são alimento para a alma e coração. ADORO fazer pessoas felizes...se houvesse uma profissão para fazer pessoas felizes eu estava no primeiro lugar da fila para a entrevista. E não é preciso ter muito dinheiro, não é preciso ter muitos conhecimentos, não é preciso ter muitos meios...basta mesmo o que temos à mão e se o que tivermos à mão for sincero, sentido e saudável...conseguimos fazer alguém feliz.
Mas no fundo, no fundo...obrigada eu por me fazerem feliz a mim.
Aqui vos deixo com o poema a algumas supermulheres que eu tive o prazer de levar alguma felicidade, contribuir para alguma loucura, incutir algum suspense e oferecer um pouco de mim...porque elas me dão tanto...todos os dias.